“Marketing de conteúdo é a última estratégia de marketing que restou”

Esta frase é de Seth Godin, fundador da Yoyodyne, uma das primeiras empresas de marketing digital, que depois foi vendida para a Yahoo.

Talvez esta frase seja um pouco exagerada, principalmente para a realidade brasileira.

No entanto, o fato é que a relação das pessoas com a publicidade mudou drasticamente, afinal se você não quer assistir a uma propaganda é só clicar no “x” ou pular em 5 segundos.

E às vezes nem isso, segundo a Google o Adblock (bloqueador de anúncios) é uma das extensões mais populares do Chrome, com mais de 350 milhões de downloads.

Ou seja, às vezes o anúncio que você pagou caro para fazer nem vai ser visto pelo cliente.

Neste cenário o “vender sem vender” tem ganhado cada vez mais força e uma das formas de fazer isso é através do Marketing de Conteúdo.

Por isso segue um texto explicando de maneira simples o que é o Marketing de Conteúdo, quais as suas vantagens e formas mais conhecidas de aplicá-lo.

Vamos lá!

O que é Marketing de Conteúdo e por que fazer?

Neste tópico vamos aprender o que é Marketing de Conteúdo, como ele começou e por que tem crescido.

Qual o significado de Marketing de Conteúdo?

Pelo meu entendimento, o Marketing de Conteúdo consiste em produzir conteúdo relevante para o seu público, de forma estratégica, fazendo com que ele crie um vínculo com a sua marca, se tornando seu cliente.

Pois conforme Paulo Maccedo, autor de A Arte de Escrever para a Web e Produzir Conteúdos Poderosos.

“É preciso entender que fazer marketing de conteúdo não é somente publicar em blogs e divulgar essas publicações em outros lugares. [...] É preciso garantir a geração de autoridade, atração de leads, formação de audiência e, claro, conversão de vendas.”

Por isso, ao desenvolver uma estratégia de Marketing de Conteúdo não devemos deixar de lado o objetivo final de qualquer empresa, o lucro.

Como começou o Marketing de Conteúdo?

Ao contrário do senso comum, o Marketing de Conteúdo não é algo recente, com relatos desde o final do século XIX.

Estima-se que o primeiro caso de Marketing de Conteúdo “oficial” foi a criação da revista The Furrow pela empresa John Deere.

A companhia identificou que um dos empecilhos para a compra dos seus equipamentos agrícolas era que os fazendeiros não sabiam como utilizá-los.

Por isso nesta revista, a John Deere divulgava informações sobre novas tecnologias relacionadas à agricultura.

Esta estratégia funcionou tão bem que a The Furrow existe até hoje.

Com o sucesso da John Deere, outras empresas passaram a adotar a mesma técnica.

Como por exemplo a Michelin, que lançou em 1900 O Guia Michelin com dicas referentes a viagens de carro.

Já na década de 60 a Nestlé passou a colocar receitas de doces com seus produtos nos rótulos das embalagens de Leite Moça.

Aqui no Brasil um dos casos mais famosos é a revista 4 Rodas, que segue a mesma linha do Guia Michelin, fornecendo dicas de viagens com listas dos melhores hotéis, restaurantes, destinos ...

Como podemos ver, o Marketing de Conteúdo faz parte das nossas vidas a bastante tempo.

Mas o que fez o Marketing de Conteúdo ficar em alta novamente?

Uma das respostas para isso são os meios de comunicação e entretenimento.

Desde o início da popularização da internet nos anos 90 a de consumir mudou, então a forma de vender também.

A relação cliente/empresa passou a ser muito mais interativa do que passiva.

Se antes uma empresa fazia uma comercial na televisão aberta, por exemplo, as pessoas eram praticamente “obrigadas” a assistir.

Agora com serviços de streaming como Netflix e Spotify, essa realidade mudou.

E caso uma pessoa queira saber mais sobre um assunto e comprar algum produto ou serviço é só digitar no Google e encontrar o que procura.

Por isso, é importante para as empresas criar conteúdo que atraia esses clientes e divulgue os seus produtos de forma sutil.

Para que quando eles forem comprar irem “direto” para o seu negócio.

A importância do Marketing de Conteúdo no meio digital

Nesta parte elencamos as 7 principais vantagens de aplicar o Marketing de Conteúdo dentro da sua empresa.

1.    Propagação da sua marca e seus produtos pela internet

Na internet o alcance é ilimitado, ou seja, a sua promoção não fica restrita a um espaço geográfico ou a um período.

Pois enquanto o seu site existir é possível que pessoas o acessem.

2.    Interaja diretamente com sua buyer persona

Buyer persona são representações semifictícias de um cliente ideal criadas a partir de dados de consumidores reais com alguma especulação fundamentada.

Assim você pode criar conteúdo diretamente para esse perfil, podendo avaliar simultaneamente o que agrada ou não.

Conforme o feedback das personas, você pode avaliar as suas estratégias de marketing e adequar caso necessário.

E o melhor, tudo de forma rápida.

3.    Educar o seu público

Conforme a história da John Deere, os clientes muitas vezes precisam ser “ensinados” a como utilizar os seus produtos e serem apresentados as suas vantagens.

Pois, segundo a Conference Executive Board “57% dos consumidores já formaram sua decisão de compra antes de entrar em contato com vendedor”.

Por isso é fundamental antecipar as dificuldades dos clientes e apresentar soluções.

4.    Conquistar a confiança do cliente

Fornecendo conteúdo relevante “gratuitamente” na internet você ganha autoridade no mercado e o respeito do seu cliente.

Pois eles percebem que você tem expertise no assunto e se preocupa em “resolver as suas dores”.

O que aumenta a possibilidade de os clientes comprarem com você.

5.    Reduzir o custo de aquisição de clientes

Se você produzir um conteúdo interessante, aplicando as técnicas de SEO (otimização para mecanismos de busca) acontecerá o aumento do seu tráfego orgânico.

O tráfego orgânico são as pessoas que acessam o seu site sem que você precise pagar para isso, por exemplo, quem chega ao seu site através de uma pesquisa no Google.

O que amplia o número de leads (potenciais clientes).

6.    Engajamento com a marca

A aplicação do marketing de conteúdo não só aumenta os visitantes do seu site, mas também estabelece uma relação com os clientes atuais, que podem divulgar os seus conteúdos, se tornando promotores da sua marca.

7.    Métricas

Uma das vantagens dos produtos digitais é a gama enorme de informações que você pode acessar.

Por exemplo, no seu site você consegue saber quantas pessoas visitaram, quanto tempo elas permaneceram, de qual região geográfica elas são... enfim são inúmeras possibilidades.

Isso facilita muito a avalição dos resultados das ações aplicadas.

Essas métricas também facilitam a venda ativa dos serviços.

Exemplificando, se uma empresa de consultoria em marketing identifica que um lead acessou o artigo “O que é Marketing de Conteúdo?” e fez o download do e-book gratuito “Como aplicar o Marketing de Conteúdo no seu Negócio”.

Pode ser interessante enviar para esse lead uma oferta promocional para consultoria empresarial.

Formas de aplicar o Marketing de Conteúdo

Como vimos o Marketing de Conteúdo pode trazer muitos benefícios para o seu negócio.

No entanto, como qualquer estratégia de marketing, para que ele atinja resultados deve ser aplicado de maneira correta.

Para isso não se deve perder o foco e ter em mente os objetivos finais da estratégia.

Neste sentido, conhecer muito bem qual a sua persona e saber qual é a melhor maneira de chegar até ela é fundamental.

Por isso seguem as formas mais comuns de aplicar o Marketing de Conteúdo:

1.    Blog

Tenho um artigo que fala exclusivamente sobre por que criar um blog e como escrever para blog, caso tenha interesse não deixe de acessar.

Mas de forma resumida, o mais importante é criar um conteúdo relevante para a sua persona, com uma linguagem acessível, que atraia o leitor aplicando técnicas de SEO.

Para que gerem resultados os artigos do blog devem ser publicados de forma regular, quanto mais publicações melhor, no entanto prezando sempre pela qualidade.

Então mais vale um artigo bem escrito por semana, do que 3 artigos não tão bons.

Como as postagens do blog devem ser recorrentes ele é uma ótima forma de engajamento.

2.    E-book

O E-book é similar ao blog por se tratar de um material escrito, porém os objetivos costumam ser diferentes.

Ele é muito utilizado como isca digital, que seria uma forma de conseguir leads através de uma recompensa.

Na prática funciona assim.

Uma agência de viagens faz um e-book sobre “como planejar uma viagem internacional”, ela fornece este e-book gratuitamente enviando por e-mail.

Assim a agência forma uma base de leads com os e-mails fornecidos e pode futuramente utilizá-la na promoção de pacotes de viagens para a Europa.

3.    Vídeos

Com o avanço das tecnologias, você não precisa ter uma câmera profissional para fazer um bom vídeo.

Por isso essa forma de marketing tem crescido significativamente, segundo a Resultados Digitais,  50% de todo o tráfego mobile da internet é composto por vídeos.

Também de acordo com a Resultados Digitais, ter um vídeo em uma página de produto aumenta em até 85% a intenção de compra, por reforçar a confiabilidade do produto para o cliente.

Aumentando assim a sua autoridade perante o mercado.

Os vídeos também são utilizados como forma de “complementar” blogs e redes sociais.

4.    E-mail Marketing

Já o e-mail marketing é uma ótima forma de criar um relacionamento com os seus potenciais clientes e engajar os já existentes.

Você pode fazer isso através de newsletters (boletim informativo) semanais por exemplo.

Porém para que o e-mail marketing funcione de maneira correta, é fundamental uma seleção dos contatos, os separando pelas áreas de interesse.

Afinal ninguém gosta de ter a caixa de e-mail lotada de assuntos que não tem nada a ver com você.

5.    Infográficos e Templates

Os infográficos são matérias que unem o visual com o escrito, geralmente são utilizados para criação de um passo a passo, resumos ou a explicação de algum assunto mais complexo.

Já os templates são mais utilizados para apresentar números e resultados de forma dinâmica e autoexplicativa.

Eles podem ser utilizados como forma de complementar as demais ferramentas de Marketing de Conteúdo.

6.    Redes Sociais

As redes sociais são uma excelente forma de interação com os clientes e também são um bom parâmetro para avaliar sua reputação perante o seu público.

Outra vantagem das redes sociais é que a maioria delas é gratuita, ou seja, é uma forma barata de aplicar o Marketing de Conteúdo.

No entanto, para que as redes sociais funcionem de forma adequada elas precisam ser constantemente alimentadas.

Para isso o ideal é que se tenham todas, porém muitas vezes isso é inviável, por isso focar nas que sejam mais acessadas pelo seu público pode ser a solução.

O que não fazer no Marketing de Conteúdo

Agora que você já sabe o que é o Marketing de Conteúdo e quais maneiras utilizá-lo.

Seguem algumas dicas do que evitar para não atrapalhar a sua estratégia.

·         Criar conteúdo sem estratégia

Para que o Marketing de Conteúdo gere resultados é primordial que por trás de cada post haja uma estratégia.

Montar um calendário editorial e segui-lo é o que fará com que o seu plano funcione.

·         Querer resultados imediatos

Lembre-se sempre que o Marketing de Conteúdo é o “vender sem vender” então, por mais que o seu conteúdo seja focado na conversão ela pode demorar um pouco para acontecer.

·         Cuidado com as métricas

Ao trabalhar com o marketing de forma online, você pode cair no erro de se atentar a dados que não dizem muito sobre os resultados.

Por exemplo, um aumento no número de seguidores ou de curtidas em redes sociais não necessariamente significam o aumento de vendas.

·         Não ser profissional

Mesmo que a internet no geral seja um ambiente mais descontraído e tratar os clientes de forma mais “humana” é um fator importante para o engajamento.

Vale lembrar que é uma relação de negócio, por isso evite entrar em assuntos polêmicos.

Embora eles gerem bastante publicidade, deve-se avaliar muito bem se ela é positiva ou não.

 

Como vimos o Marketing de Conteúdo é uma excelente forma de atrair novos clientes para o seu negócio.

Ele é considerado uma ferramenta essencial para qualquer empresa do século XXI.

Porém para que ele funcione de maneira efetiva é fundamental que ele seja aplicado de forma correta, com estratégias e objetivos bem definidos.

Para isso ter uma equipe profissional, que saiba te guiar pelo mundo online é fundamental.

Pois afinal, só bons profissionais trazem bons clientes, por isso investir é necessário.

O que achou do texto? Comente e me siga nas redes sociais!