Conhece o rankeamento do Google? Saiba como ele impacta no seu site!

Vender online não é nada fácil, a concorrência é imensa por conhecer o rankeamento do Google e ficar “na cara do cliente” é fundamental.

Com as restrições de circulação devido à pandemia da Covid-19, muitos empreendedores fecharam as portas e migraram para os serviços online.

Pois, de acordo com uma pesquisa da NZN Intelligence feita em março de 2020, 71% dos brasileiros pretendem aumentar o volume de compras online.

Isso fez com que as vendas pela internet ficassem ainda mais competitivas.

Por isso, desenvolvemos este texto explicando de forma simples pontos que são considerados para definir a posição do seu site do Google e sugestões para melhorá-la.

Primeiramente, o que é rankeamento e SEO?

Para entender como funciona o rankeamento do Google, você precisa saber o que são “as tão faladas”, estratégias de SEO.

SEO é uma sigla em inglês para Search Engine Optimization, cuja tradução literal seria “otimização para motores de busca”.

Os motores de busca possuem algoritmos, esses algoritmos podem ser programados para solução de problemas, no caso definir o rankeamento das páginas no Google.

O rankeamento ou ranqueamento é influenciado tanto pelas técnicas adotadas pelos sites quanto pelas características dos usuários.

Portanto, o que aparece para “você”, não necessariamente aparece para o seu irmão, por exemplo.

Como acontece o rankeamento no Google?

Um dos propósitos do algoritmo do Google é melhorar a experiência dos usuários.

Para isso, ele rastreia sites baseados nestes 3 critérios (EAT):

·        Especialidade (expertise)

·        Autoridade (authoritativeness)

·        Confiabilidade (trustworthiness)

Especialidade

A especialidade vem com o tempo, por isso sites antigos têm mais facilidade neste quesito.

Mas, outros fatores também são considerados, como o nicho de mercado.

Por exemplo, se um site de uma nutricionista faz um artigo sobre dietas, é mais provável dele rankear do que um site de fofocas.

Além disso, ter conteúdos adicionais como fotos, links internos e vídeos auxilia no aumento da especialidade.

Autoridade

Um dos fatores relacionados à autoridade é o tempo que o usuário permanece na página e se já encontra o que procura, sem precisar acessar outros sites.

Também se a página possui outras citações em sites confiáveis como jornais e revistas para o algoritmo é um indicativo de autoridade.

Deste modo, uma boa forma de garantir autoridade é fazer artigos com conteúdos “fechados” para que o visitante encontre tudo que necessita e parcerias com outros sites com notoriedade.

Confiabilidade

Já a confiabilidade está ligada à segurança do site, portanto, para alavancar as vendas online investir nisso é fundamental.

Também a diagramação do site, erros de gramática, cópias de outros sites, podem diminuir a confiabilidade do seu site.

Por isso, ter uma boa equipe para gerir o seu conteúdo é indispensável!

Além dos 3 critérios já citados, outros fatores devem ser considerados.

Palavras-chave (keyword)

Parte do rankeamento do Google está relacionado a escolha da palavra-chave certa.

Para isso o próprio Google disponibiliza algumas ferramentas gratuitas como o Google Trends e o Keyword Planner.

Assim você identifica os temas que têm sido mais buscados pelos seus clientes e adequa seu conteúdo a eles.

O ideal é que você escolha palavras-chave com uma cauda longa ao invés de uma cauda curta.

Como seria isso?

Por exemplo, se você deseja fazer um texto sobre marketing digital, somente a palavra “marketing digital” tem uma gama enorme de artigos, mas se você especificar usando “empresas de marketing digital” facilita o cliente chegar ao seu site.

Também as palavras-chave devem estar no título, que devem conter entre 50 a 68 caracteres, e serem citadas no corpo do texto.

Então é só encher o texto de palavras-chave que ele vai ranquear? Não!

Vamos ver o porquê agora em outro aspecto relacionado ao conteúdo.

Linguagem Natural

Os algoritmos do Google são bastante sofisticados, eles percebem quando as palavras chaves são colocadas fora de contexto, apenas para rankear.

Além disso, o Google tem aprimorado os algoritmos para uma linguagem mais “humana”, se adequando às perguntas dos usuários diretamente.

Por exemplo, se você colocar “Como Rankear no Google?” a página já indica uma resposta, sem que você tenha que entrar em algum site.

Por isso inserir estas perguntas no título e também no decorrer do texto podem facilitar o rankeamento.

Trabalhe para mobile - design responsivo

Outro ponto importante é que as pessoas têm utilizado mais dispositivos móveis para efetuar pesquisas.

De acordo com  Cetic.br ,58% dos usuários do Brasil acessam a internet somente pelo celular.

O Google percebendo isso tem dado prioridade para sites que tenham um design responsivo.

Design responsivo nada mais é do que websites com um layout que se adapta a diversos dispositivos como notebooks, laptops, smartphones, etc.

O próprio Google disponibiliza um teste gratuito para verificar se o seu site é compatível com dispositivos móveis (mobile friendly)

Então, faça uma verificação!

Conforme vimos, saber como rankear no Google é essencial para qualquer empresa conseguir crescer no cenário atual.

Pois, cada vez mais as pessoas têm optado pelos serviços online, um processo que se intensificou com a pandemia, mas que promete permanecer.

Por isso, buscar as melhores estratégias e bons profissionais para gerir o seu conteúdo online é fundamental, porque só assim ele chegará ao seu público e os clicks se converterão em ganhos.

Gostou das dicas? Conte o que achou!